HOSPITAIS.png

Feira de Santana ficou sete meses sem receber inseticida contra Aedes aegypti

23/01/2020

 

Usado no combate ao mosquito aedes aegypti na fase adulta e consequentemente reprodutiva, quarenta litros do inseticida malathion foram repassados pelo governo federal à prefeitura de Feira de Santana – o que não acontecia há sete meses, desde julho do ano passado.


O coordenador da Divisão de Endemias da Secretaria de Saúde, Edilson Matos, afirmou que o órgão vai iniciar os bloqueios, por meio de bombas costais. A quantidade dá para trabalhar durante um mês. “Já fizemos o pedido de novo repasse”. Serão atendidos agora os bairros com maiores índices de infestação predial, como a Cidade Nova e a Serraria Brasil.


A aplicação do inseticida vai completar o trabalho de combate ao mosquito, que vinha sendo feito apenas com a aplicação de larvicida em locais onde foram constatados acúmulo de água, principalmente dentro das residências, na expectativa de evitar que a larva se desenvolvesse.


O produto é usado nos procedimentos conhecidos como fumacê, que é a sua aplicação mecânica nas ruas dos bairros onde os índices de infestação predial estão acima dos tolerados pelas autoridades epidemiológicas, que é de até 1% dos imóveis.


O aedes transmite a tripla infecção: zika, chinkungunya e dengue e o inseticida contribui para quebrar a cadeia reprodutiva do inseto na sua fase adulta de vida – o ciclo da fêmea é de 30 dias, quando põe entre 60 e 120 ovos. Ao longo da vida uma fêmea tem pelo menos três ciclos.
 

 

Compartilhar
Tuitar
Please reload

NOTÍCIAS RECENTES
Please reload

Sala de Notícia - Todos os Direitos Reservados