Sirenes soaram pela primeira vez em Salvador para moradores desocuparem casas ameaçadas pela chuva

20/04/2018

 

 

Moradores dos bairros de Bom Juá e Vila Picasso, em Salvador, precisaram sair de suas casas nesta sexta-feira (20) em função das fortes chuvas que atingiram a capital baiana. A Defesa Civil de Salvador (Codesal) informou que  as sirenes de alerta preventivo foram acionadas em função do Plano Preventivo de Defesa Civil. Depois do acionamento os moradores precisam se dirigir a uma escola municipal determinada com o ponto de encontro. 


Foi a primeira vez que houve o acionamento do alarme em função das chuvas. "Fui consultado e determinei à Codesal que ela seguisse todo protocolo técnico que estava previsto. Nós temos mais de 150mm de chuva acumulado nessa região da cidade em 72 horas. O protocolo determina que quando isso acontece tem que acionar o sistema de alerta e alarme. Veja que hoje Salvador tem essa tecnologia a fim de previnir. Pode ser que não aconteça nada. A gente está rezando para que não aconteça nada. São áreas onde, inclusive, nós estamos fazendo obras de contenção de encostas. Se você examinar nas chuvas de 2010 essas áreas foram muito afetadas. Essas áreas tiveram, inclusive, vítimas fatais. É por isso que a gente instalou nessas áreas os sistemas de alerta. Talvez seja uma das áreas de maior risco da cidade em função da ocupação de encostas. Portanto, o sistema está lá funcionando. Agora é acompanhar o desdobramento disso e das chuvas nas próximas horas", afirmou o prefeito ACM Neto.


As comunidades de Bom Juá, Vila Picasso, Calabetão, Coronel Pedro Ferrão, Mamede e Baixa de Santa Rita foram as mais atingidas pela chuva que está caindo em Salvador, nos últimos três dias, segundo a Codesal. O que esses bairros têm em comum, além dos alagamentos, são as sirenes de alerta instaladas pela prefeitura de Salvador. 


Bom Juá foi o bairro mais chuvoso. Segundo um levantamento da Codesal, foram registrados 134,6 mm de chuva nessa região. A Vila Picasso fica logo atrás com 127,4 mm. Essa comunidade tem duas sirenes instaladas.


Os equipamentos servem para alertar os moradores em caso de risco de desligamento de terra. Caso o alerta toque os moradores precisam sair em busca de abrigo na escola municipal do bairro. Alguns deles foram capacitados pela prefeitura para ajudar na evacuação. A Codesal tem uma escala para avaliar os ricos da chuva que começa com 'Observação', 'Atenção', 'Alerta', e 'Alerta Máximo'. Tanto Bom Juá como a Vila Picasso estão em situação de alerta.


O Calabetão também tem sirenes e está em 'Alerta', depois que 107,8 mm de chuva caíram na região. A comunidade Coronel Pedro Ferrão registrou 104,8 mm, e segue a mesma orientação da Codesal em relação às outras  comunidades. 


Até as 10h30 o órgão tinha recebido 123 ocorrências. Foram seis alagamentos de área, 33 alagamentos de imóvel, 12 ameaças de desabamento de imóvel, duas ameaças de desabamento de muro, 13 ameaças de deslizamento de terra, duas ameaças de queda de árvore, uma árvore caída, duas avaliações de imóveis alagados, um desabamento de imóvel, dois desabamentos parciais, 47 deslizamentos de terra e duas infiltrações.


Não há registro de feridos. O local com maior número de ocorrências foi São Marcos, com 14 chamados. 


A Codesal permanece com o plantão 24 horas atendendo às solicitações pelo telefone gratuito 199.
 

Compartilhar
Tuitar
Please reload

NOTÍCIAS RECENTES
Please reload

Sala de Notícia - Todos os Direitos Reservados