Candidatura de Ronaldo enfrenta muitos percalços logo na largada

17/04/2018

 


Não foi nada fácil a primeira semana de José Ronaldo como candidato ao governo do estado. À dificuldade de enfrentar um adversário fortalecido pela desistência de seu principal oponente, juntou-se a necessidade de costurar uma unidade do bloco oposicionista, dificultada pela mesma desistência.

 

 

 Manhã desta terça (17). De cinco manchetes do site BAHIA.BA, de Levi Vasconcelos, três eram notícias desfavoráveis à oposição


Ronaldo conseguiu emplacar duas boas notícias. Um possível acordo com o PTB de Benito Gama e um evento de apoio em Camaçari. Esforça-se em entrevistas a todos os canais de rádio e TV possíveis. E tenta também costurar seus apoios, abrindo inclusive as portas ao MDB, que João Gualberto e ACM Neto renegam em função das malas de dinheiro no apartamento usado pelos Vieira Lima, a maior apreensão da história do Brasil, tão rica em episódios vergonhosos de corrupção.


As notícias ruins no entanto insistem em brotar. É como um bote furado, porque a saída de cena do ex-futuro-candidato ACM Neto espalhou pessimismo nos opositores de Rui Costa. Saiu notícia de que Zito, prefeito de Barreiras, do DEM, iria para o governo do estado, através do cada vez mais influente Otto Alencar, dono do PSD baiano, que abriria as portas ao prefeito do Oeste. Costura também de Jusmari Oliveira, que deixou o secretariado do estado por ser candidata e também é ex-prefeita da mesma cidade. Logo ACM Neto e Ronaldo se reuniram com o correligionário, mas ele espalha que está na dúvida sobre para que lado vai.

 

Ronaldo e ACM Neto tentando segurar Zito, prefeito do DEM em Barreiras

 

 

Dois prefeitos deixaram as dúvidas de lado e escancaram. Marivaldo Alves, de Sátiro Dias e Adilson Leite, de Jandaíra. Veja, são prefeitos, embora de pequenos municípios. Não disputam mandato nem sofrem influência da questão da janela partidária para troca de partido. Mesmo assim, preferem sinalizar claramente que abandonaram o barco da oposição.

 

Deputados que disputarão votos falam da expectativa negativa em relação às chances de quem não está com Rui na eleição e os governistas, ao contrário, comemoram adesões, enquanto políticos próximos de ACM Neto recusam vaga na chapa majoritária. Até uma improvável rebelião de Bruno Reis se esboçou. 

 

É muita notícia ruim pra um começo de campanha. Mas ninguém disse que seria fácil e Ronaldo sabia disse quando aceitou a tarefa.

 

Compartilhar
Tuitar
Please reload

NOTÍCIAS RECENTES
Please reload

Sala de Notícia - Todos os Direitos Reservados