banner 3.jpeg

Morre PM baleado durante assalto ao pedágio em Candeias

01/04/2018

 

 

Morreu no final da tarde deste sábado (31) o policial militar Cristiano Ramos Pinto, 36 anos. Ele estava internado no Hospital da Bahia, em Salvador, desde a noite da última quarta-feira (28), após ser baleado na cabeça durante um assalto ao pedágio da rodovia BA-524, na altura de Candeias.


Cristiano era lotado no 12º Batalhão da Polícia Militar (BPM/Camaçari) e voltava para Feira de Santana com outros dois colegas quando três homens anunciaram o assalto na praça de pedágio, às 19h50. O delegado Marcos Laranjeira, titular da 20ª Delegacia (Candeias), disse ao CORREIO nesta sexta-feira (30) que os policiais perceberam o assalto e deram voz de prisão aos assaltantes, que atiraram.


Na troca de tiros, Cristiano foi atingido na cabeça e um dos asslatantes levou dois tiros no braço - ele foi executado horas depois dentro do Hospital Municipal Ouro Negro, em Candeias.


A morte do policial foi confirmada pelo Hospital da Bahia, para onde ele tinha sido transferido na própria quarta-feira. Ele faleceu às 17h30. "Ele permanecia internado na Unidade de Terapia Intensiva sob os cuidados do Serviço de Neurocirurgia do Hospital da Bahia", diz nota oficial da unidade médica.


Neste sábado (31), o delegado Marcos Laranjeira disse ao CORREIO que os mandados de prisão dos outros dois suspeitos de terem cometido o assalto tinham sido expedidos pela Delegacia de Simôes Filho, que também investiga o crime.


Morto no hospital


O terceiro participante do assalto, Kelvisson Martins de Sousa, 18 anos, foi assassinado por quatro homens encapuzados que adentraram o Hospital Ouro Negro. Eles retiraram a mãe da vítima do cômodo e ameaçaram os funcionários, obrigando-lhes a dizer onde o homem estava. 


As câmeras do circuito interno do hospital não estavam funcionando na hora do crime, mas o delegado Laranjeira informou que está em busca de outras imagens de locais próximos e mais testemunhas. “Ouvimos a mãe, os parentes que estavam no hospital e outras testemunhas. Uma delas disse que os assassinos saíram de Gol Prata, mas não sabia a placa”, conta o delegado.


Os bandidos adentraram o hospital quando os dois policiais militares que guardavam a porta da unidade deixaram o posto após receberem uma ligação. Em depoimento, os homens explicaram que foram chamados para dar apoio em uma localidade chamada Passagem dos Teixeiras, na qual estava havendo um tiroteio. “Subentende-se que os indivíduos já estavam monitorando o local, esperando haver uma brecha para entrarem”, concluiu Laranjeiras. 


Relembre o caso


O assalto à praça de pedágio localizada no Km 11 da rodovia Canal de Tráfego (BA-524) aconteceu na noite da última quarta-feira (28). A Concessionária Bahia Norte, que administra a rodovia, informou que os criminosos renderam a equipe de vigilância por volta de 19h50 e assaltaram os motoristas e cabines. 


Os criminosos, no entanto, foram surpreendidos. Na fila do pedágio estavam três PMs que tinham acabado de deixar o serviço. 


"Os policiais contaram que tinham acabado de sair do serviço e seguiam em direção a Feira de Santana, município onde moram. Eles aguardavam na fila do pedágio, quando um grupo de criminosos passou a saquear as cabines de cobrança e os motoristas que aguardavam o atendimento. Ao se aproximar dos PMs, os criminosos efetuaram disparos de arma de fogo e houve troca de tiros, mas eles conseguiram fugir", afirmou a PM, em nota. Na troca de tiros, Kelvisson foi atingido no braço. 


Um motorista identificado como Natanael Alves Cardoso, 55, foi atropelado na fuga dos criminosos - ele não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local. Natanael havia ido a Camaçari buscar o filho de 10 anos para passar a Páscoa com ele em Santo Estêvão, onde morava. Ele desceu do carro para pegar o celular que o filho havia deixado cair, quando foi atropelado.
 

 

Compartilhar
Tuitar
Please reload

NOTÍCIAS RECENTES
Please reload

Sala de Notícia - Todos os Direitos Reservados