Corpo de jornalista é encontrado em edifício na Avenida Tancredo Neves; polícia prende suspeito

A polícia prendeu o suspeito de matar a jornalista Daniela Bispo dos Santos, 38 anos, encontrada morta dentro do Edifício Catabas, na Avenida Tancredo Neves, na manhã desta terça-feira (14). O suspeito, que não teve a identidade revelada, vai ser apresentado na tarde desta terça, na sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na Pituba.

 

Formada em Jornalismo pela Unijorge, em 2015, Daniela estava desaparecida desde às 19h de segunda-feira (13), quando saiu da sala onde trabalhava no prédio, no 1º andar, para comprar um remédio e não voltou ao trabalho. 

 

 

Policiais Militares da 35ª Companhia Independente da PM (CIPM/Iguatemi) foram acionados na manhã desta terça-feira (14), para atenderem a ocorrência  e ao chegar no local foi encontrado o corpo, com vestígios de sangue, na escada do 5º andar do edifício.

 

Daniela trabalhava no prédio, na empresa Call Tecnologia, que presta serviços de call center para a Disque 180 da Secretaria de Políticas para as Mulheres, do Governo Federal. Ela estava escalada para o plantão de ontem de 14h às 22h. Por volta de 19h, disse que ia tomar um remédio e não retornou. O CORREIO tentou contato com a empresa, mas até o momento não obteve contato.

 

"Ela se encontrou com uma pessoa no 5º andar cujas imagens já mostram e indicam quem tenha sido. A família também já apontou um suspeito e tudo leva a crer que tenha sido um crime passional", completou o capitão. Daniela deixa dois filhos. 

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou a ser acionado, mas a vítima já estava morta. Daniela trabalhava no setor de direitos humanos da empresa de call center.  

 

A presidente do Sindcentel, Edla Rios, está no local e informou que há muito tempo os funcionários reclamam da falta de segurança no prédio. "É uma tragédia que poderia ter sido evitada, não fosse a falta de segurança", disse.

 

A Polícia Civil está investigando a morte, mas não informou detalhes sobre a apuração. 

Antes do corpo ser encontrado, a família e amigos iniciou uma busca por Daniela através de mensagens pelas redes sociais.

 

Sindicato dos Jornalistas dos Profissionais no Estado da Bahia (Sinjorba), manifestou pesar pela morte da jornalista. Veja carta na íntegra:

 

A diretoria do Sindicato dos Jornalistas dos Profissionais no Estado da Bahia (Sinjorba) manifesta pesar pela morte da jornalista Daniela Bispo, 38 anos, vítima de morte violenta nas escadarias do 5o. andar do Edifício Carajás, na avenida Tancredo Neves, imóvel onde a profissional trabalhava no 1o. andar. Segundo as primeiras apurações da Polícia, a morte teria sido um feminicídio praticado por um homem filmado ao entrar no edifício e com o qual ela teria um relacionamento. A morte da colega aumenta a revoltante estatística brasileira de crimes praticados contra mulheres pelo fato de serem mulheres, por homens com os quais se relacionavam. O feminicídio mata oito mulheres por dia no Brasil e até maio deste ano, a Polícia registrou mais de 10 mil casos de violência contra a mulher na Bahia. O Sinjorba se une a familiares, amigos e colegas neste momento de dor e pretende acompanhar e divulgar as investigações para prisão e julgamento do autor deste crime.

 

Fonte: Correio 24 horas

Compartilhar
Tuitar
Please reload

NOTÍCIAS RECENTES
Please reload

Sala de Notícia - Todos os Direitos Reservados