banner 3.jpeg

Lista do trabalho escravo tem cinco empregadores da Bahia

23/10/2017

A Bahia tem cinco empregadores que, segundo auditores do Ministério do Trabalho, colocaram trabalhadores em "condições análogas à de escravo".

 

A relação foi divulgada pelo programa Fantástico, da TV Globo, neste domingo (22). É uma atualização do mês de outubro, mas estava sob sigilo após a portaria do governo federal que mudou os procedimentos de divulgação e atenuou as regras, dificultando a fiscalização.

 

A lista divulgada pela Globo tem 132 nomes de empregadores, dos quais cinco estão na Bahia.

 

Reproduzimos abaixo a relação dos citados. Eles estão listados em ordem decrescente do número de pessoas que segundo a fiscalização eram mantidas nas condições análogas à escravidão.

 

Belmiro Catelan, fazenda Guarani, zona rural de São Desidério. 44 trabalhadores envolvidos. Fiscalização ocorrida em 2010.

 

Marcondes Antônio Tavares de Farias, fazenda MF1, rodovia BR 242, km 830, à direita no sentido Luís Eduardo Magalhães, Barreiras. 33 trabalhadores envolvidos. Fiscalização ocorrida em 2013.

 

Nelson Astor Pooter, fazenda Novos Tempos, rodovia BA 462, km 27, povoado da Estiva, São Desidério.  10 trabalhadores envolvidos. Fiscalização ocorrida em 2012.

 

Helmuth Rieger, fazenda Flor da Esperança, rodovia BA 462, km 27, Sítio Grande, povoado de Estiva, na zona rural de São Desidério. 9 trabalhadores envolvidos. Fiscalização ocorrida em 2012.

 

Associação Comunitária Cultural e Recreativa do distrito Stela Dubois - Obra de construção de casas populares no assentamento Vila PA, região do Beira Rio, zona rural de Santa Rita de Cássia. 6 trabalhadores envolvidos. Fiscalização ocorrida em 2015.

Compartilhar
Tuitar
Please reload

NOTÍCIAS RECENTES
Please reload

Sala de Notícia - Todos os Direitos Reservados