Buscar

Wagner é a única alternativa para o PT se manter no governo

Jaques Wagner candidato ao governo é a única alternativa para o PT manter-se à frente da coligação que governa a Bahia desde a eleição do próprio em 2006. E manter a Bahia, estado mais importante sob o comando da sigla, é necessário para a própria sobrevivência do partido.


A eleição de 2020 aumentou a fragilidade do PT dentro da aliança que sustentou Wagner em dois mandatos e se mantém com Rui Costa. A sigla da estrela vermelha encolheu um pouco mais e está reduzida a um terço do número de prefeituras conquistadas pelo PP e PSD.


Diante desta situação apenas o ex-governador é nome forte o suficiente para manter (e conter) como aliados o PP (sob as ordens de João Leão) e o PSD (Otto Alencar). Só com Wagner para abrirem mão da cabeça da chapa. A necessidade é tão premente que o anúncio da candidatura do senador vem sendo feito com inédita antecedência, embora ainda careça da confirmação do próprio.


Montei um gráfico mostrando a evolução dos quatro principais partidos que disputam o poder na Bahia nas três últimas eleições municipais, que definem prefeito e vereadores (os aliados PT, PP e PSD e o desafiante DEM de ACM Neto). As colunas azuis representam 2012, as laranjas 2016 e as amarelas 2020. O PT tem hoje um terço do número de prefeitos que tinha em 2012, sendo ultrapassado e deixado muito para trás tanto pelo PSD quanto pelo PP.


Após os resultados do último novembro, foi ultrapassado até pelo DEM. E, o mais importante neste caso, estão nas mãos dos aliados de ACM Neto as prefeituras das três maiores cidades, Salvador, Feira de Santana e Vitória da Conquista.



0 comentário
BNI-02-728x90px_BAHIA-MEU-ORGULHO (1).pn

Sala de Notícia - Todos os Direitos Reservados