Buscar

Embasa descobre roubo de água por indústria no bairro Subaé

A Embasa localizou na semana passada uma ligação clandestina de água utilizada para abastecer uma indústria no bairro Subaé.


A Embasa não informou o nome da empresa mas informou que é fabricante de tanques para lavagem de roupas. A empresa estadual de saneamento acredita que há cinco anos a água tratada da rede de abastecimento estava sendo roubada.



“Fomos informados de que este imóvel estava sendo abastecido através de uma conexão indevida em uma de nossas redes distribuidoras. Enviamos uma equipe para sondagem e a ligação clandestina foi localizada. Acionamos a Polícia Civil, que periciou o local e confirmou a fraude”, revela a gerente do escritório da Embasa em Feira de Santana, Thais Dias.


Segundo estimativas da Embasa, o volume de água consumido pode ter ultrapassado os 4.500m³, ou seja, mais de 4,5 milhões de litros de água em 12 meses. “Em termos financeiros, este volume de água corresponde a uma perda anual de quase R$ 108 mil em arrecadação”, informa o gerente regional, Euvaldo dos Santos Neto.


CONSUMO IRREGULAR


A Embasa tem intensificado as ações para identificar e coibir as fraudes no consumo de água, como as ligações clandestinas ou a adulteração de hidrômetros. No ano passado, foram localizadas mais de 4 mil ligações clandestinas em Feira de Santana, tanto na zona urbana, como na rural.


Quando descobre a fraude, a equipe da Embasa retira a ligação clandestina da rede e aplica uma multa no fraudador. “É preciso que as pessoas entendam que furtar água tratada é crime, previsto no Código Penal Brasileiro, ou seja, quem faz uma ligação clandestina pode ser preso e ter que cumprir pena”, enfatiza o gerente regional.


“Outro aspecto muito sério é que o desvio e o furto de água prejudicam o abastecimento na vizinhança onde o ‘gato’ foi feito, pela redução do volume e da pressão na rede distribuidora”, alerta Euvaldo.


Qualquer pessoa pode denunciar gatos de água anonimamente. Basta ligar para o 0800 0555 195 e informar o endereço onde estaria acontecendo o crime, sem precisar se identificar.

0 comentário