Buscar

Estado e prefeitura de Salvador vão pagar R$ 500 para pacientes se isolarem

O governo estadual vai enviar para aprovação da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) um projeto de lei que prevê o pagamento de uma bolsa de R$ 500 a pessoas com sintomas leves da Covid-19 e que concordarem em sair de casa para ir para centros de acolhimento. A novidade foi anunciada durante entrevista coletiva do governador Rui Costa e do prefeito de Salvador, ACM Neto, na tarde desta quinta-feira (7).

ACM Neto e Rui Costa dividiram a cena em live conjunta pela internet na tarde de hoje (07)

O governador lembrou que, na Bahia, as medidas de restrição de convívio social foram adotadas de modo progressivo, de acordo com a realidade de cada município, sempre ajustando as ações com o poder público local. “Na Bahia, são três mil pessoas com vírus ativo, que ainda não estão curadas e têm grande potencial de transmissão. Tentando garantir que essas pessoas não estão contaminando outras, nos veio a ideia de pagar a bolsa de R$ 500, além de duas cestas básicas e assistência médica que já eram ofertadas antes. O projeto de lei deve ser enviado para Assembleia Legislativa ainda nesta semana e determinará um limite de mil pessoas por cidade ou de acordo com um teto com base nos casos ativos registrados”, explicou.

Rui apresentou a ideia a ACM Neto na manhã desta quinta-feira (7) e Salvador será a primeira cidade a participar do projeto. “Em Salvador, abrimos dois centros de acolhimento e monitoramento do quadro clínico, um próximo ao Parque de Exposições e outro em um prédio no Rio Vermelho, que estão com baixa adesão. O estado vai arcar com R$ 250 e a Prefeitura com os outros R$ 250, e os interessados deverão ocupar as vagas já existentes. Vale lembrar que metade do valor será paga no sétimo dia de isolamento e a outra metade no 14º dia”, detalhou o governador.

ACM Neto disse que concordou em participar da iniciativa com o objetivo de reduzir a taxa de transmissão de novos casos de contágio na capital. “Logo pela manhã, quando tratamos do assunto, concordei que a prefeitura participe do programa e arque com metade desta bolsa, ou seja, R$ 250 de Salvador e R$ 250 do estado. Esse projeto pensado pelo estado conversa com as medidas de isolamento social e de restrição às atividades implementadas para conter a propagação do vírus em uma cidade da magnitude de Salvador”, lembrou o gestor municipal.

Bairros bloqueados

Durante a coletiva, o prefeito de Salvador também informou medidas restritivas mais amplas em três bairros da capital a partir deste sábado (9): Boca do Rio, Plataforma e Centro, na região da Avenida Joana Angélica. Essas áreas têm apresentado novos casos com maior velocidade e uma rotina de circulação de veículos e pessoas semelhante à presenciada em um dia normal, de acordo com ACM Neto.

O prefeito alertou que isto não implica no "lockdown", já que as pessoas não ficarão impedidas de sair de casa e isso não é algo cogitado neste momento. Rui e ACM Neto informaram também que não haverá alteração nas rotas do transporte público e que os moradores, mediante apresentação do comprovante de residência, terão total acesso aos bairros e às respectivas residências.

Sala de Notícia - Todos os Direitos Reservados