Buscar

Bahia interrompe transporte entre cidades para tentar conter a epidemia

Os terminais rodoviários interestaduais e intermunicipais de Salvador, Feira de Santana, Porto Seguro, Prado e Bom Despacho serão fechados durante dez dias, período pelo qual também deixarão de circular os ônibus intermunicipais da Região Metropolitana de Salvador (RMS). A medida, motivada pelo combate à disseminação do coronavirus (covid-19), está no decreto que será publicado pelo governador Rui Costa, no Diário Oficial desta quinta-feira (19).

Rodoviária de Salvador e outras cidades ficará fechada por dez dias

O último ônibus sai da rodoviária de Salvador de quinta para sexta, à meia-noite. Às 9h de sexta, será a última chegada de ônibus à estação rodoviária de Salvador. Depois disso, o local será fechado.

Segundo o secretário de Infraestrutura, Marcus Cavalcanti, “o propósito é que a população não se movimente entre essas cidades, porque a contaminação do vírus se dá entre as pessoas. O vírus não se locomove sozinho. Então, é preciso dar um choque, para que não haja essa movimentação, e a gente possa ter um resultado satisfatório no combate à disseminação dessa doença perigosa”.

Sobre o Terminal Rodoviário de Bom Despacho, Cavalcanti explica que, “como ele recebe, na Ilha de Itaparica, o fluxo de pessoas do ferry boat, o seu fechamento vai evitar que as pessoas saiam de Salvador e utilizem o ferry para outras cidades ou venham de alguma cidade onde há registro do coronavírus para Salvador”.

Ônibus intermunicipais da RMS

A restrição temporária também alcançou o transporte metropolitano. Por 10 dias está suspensa a circulação entre Salvador e região metropolitana, com exceção das linhas que operam para Lauro de Freitas e Simões Filho. As cidades de Camaçari, Candeias, Dias D’Ávila, Mata de São João, São Sebastião do Passé e Madre de Deus terão os serviços suspensos neste período.

Marcus Cavalcanti afirma que os ônibus que se integram ao metrô e interligam Salvador e Lauro de Freitas e Salvador e Simões Filhos serão mantidos porque são cidades entre as quais os limites já praticamente não existem. “Praticamente não se consegue detectar onde começa uma e termina a outra”.

Uma observação importante, acrescenta o secretário, é que empresas privadas que dependem do transporte onde as rodoviárias estão bloqueadas podem solicitar que ônibus exclusivos sejam disponibilizados. “A Agerba vai autorizar que ônibus especiais levem os funcionários das empresas privadas. Inclusive, é preciso manter as atividades essenciais de segurança e saúde pública, que neste momento estão em pleno funcionamento”.

Furar os bloqueios é crime

Marcus Cavalcanti adverte que o decreto determina que burlar o fechamento dos terminais rodoviários é crime contra a saúde pública. “Por isso, nós vamos combater também as pessoas que vão tentar explorar o transporte clandestino, ferindo a determinação de não haver tráfego entre essas cidades”. A fiscalização será realizada por especialistas em regulação da Agerba, com o apoio da Polícia Militar.

Outras cidades que vierem a registrar casos confirmados de coronavírus poderão ser incluídas no decreto e o prazo para proibição da circulação dos ônibus também poderá ser estendido.

Sala de Notícia - Todos os Direitos Reservados