Buscar
  • Correio 24 horas

Polícia retoma escola estadual e acaba com protesto estudantil contra fechamento


Após os cerca de 30 estudantes e ex-estudantes que ocupavam o Colégio Estadual Odorico Tavares, no Corredor da Vitória, deixarem o prédio na madrugada desta quarta-feira (22), depois de 10 horas de ocupação, a Polícia Militar segue realizando a segurança na entrada do local. Duas viaturas estão de prontidão na portaria principal da escola desde as primeiras horas da manhã desta quarta.

Os ocupantes tinham entrado no prédio na tarde de terça-feira (21), protestando contra o fechamento da Odorico, anunciado pelo governo do estado em dezembro do ano passado, alegando que a demanda de estudantes na unidade não era suficiente para manter a estrutura.

Foto enviada pelos estudantes na terça, dia em que ocorreu a ocupação

Alunos, simpatizantes e professores defendem que existe uma demanda, porém, a Secretaria de Educação do Estado tem, segundo eles, 'adotado uma política de esvaziamento da escola'. O grupo acusa o governo de agir pelo interesse do setor imobiliário.

De acordo com a vice-presidente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), Débora Nepomuceno, 20 anos, que estava no local, a saída dos estudantes só foi possível depois que a Polícia Militar entrou no prédio pela portaria do Canela, com três viaturas e com policiais em formação para invadirem o prédio. O Odorico tem uma segunda portaria no Corredor da Vitória.

"Depois que a imprensa foi embora, eles entraram pela parte do Canela com três viaturas. Depois disso, ouvimos barulhos muito alto de serras. Eram eles serrando o portão para entrar. Nós saímos por uma questão de integridade física. Eles se perfilaram, fazendo formação para invadir e assim fizeram. Não houve truculência, foi tudo conversado, mas decidimos sair por conta de segurança mesmo. Eles receberam informações de que havia menores de idade e recuaram no uso da força. Depois que saímos, nos reunimos no Campo Grande e parabenizamos todos pela luta. A nossa luta continua. Vamos nos reunir para futuras decisões, vamos nos reunir e tentar dialogar com a secretaria de educação", contou.

"Os estudantes deixaram o colégio de forma pacífica, por volta de 1h30. Não houve uso de força policial", disse o governo do estado através da Secretaria de Comunicação Social. Questionado pelo CORREIO sobre o uso das serras, o governo ficou de emitir posicionamento.


728×90_MAIS_SAÚDE_BAHIA_0520_ACOES_FEI

Sala de Notícia - Todos os Direitos Reservados