Buscar

Com homenagens a Marielle Franco e motorista, ato no Fórum Social Mundial reúne centenas de pessoas


Centenas de pessoas se reuniram na noite desta quinta-feira (15), para acompanhar o "Ato em defesa da democracia", que integra a programação da 13ª edição do Fórum Social Mundial, em Salvador. O evento, que teve participação do ex-presidente Lula, além de lideranças de partidos políticos e centrais sindicais, ocorreu no estádio de Pituaçu.

Durante o ato, organizado pela CUT, CTB e outros movimentos sociais de esquerda, os discursos de convidados nacionais e internacionais, de países como Honduras, Itália e Irã, se voltaram para a situação política do Brasil.

Também houve homenagens à vereadora Marielle Franco (PSOL) e ao motorista dela, Anderson Gomes, assassinados, na quarta-feira (14), na Zona Norte do Rio de Janeiro, e também pedidos de justiça pelo crime. Durante a manhã desta quinta, participantes do Fórum fizeram outro ato durante a programação do evento para cobrar respostas pelo duplo assassinato no Rio.

Criado em 2001 com a proposta de reunir movimentos sociais de todo o mundo, o Fórum Social Mundial ocorre na capital baiana desde a terça-feira e segue até o sábado (17), em vários espaços da cidade.

O "Ato em defesa da democracia" foi iniciado com uma apresentação do grupo afro Ilê Ayê. Os portões foram abertos uma hora antes do horário previsto para o início do evento, marcado para as 17h. Os discursos no palco, no entanto, só começaram pouco antes das 19h.

"Avançamos muito na democracia no nosso continente e essa é a razão por conta do golpes que sofremos. Não foi pouca coisa o que aconteceu no Brasil, na Argentina e na Bolívia. Aqui, me elegeram mesmo sendo metalúrgico, elegeram Dilma como a primeira mulher presidente. Então a democracia andou, mas é preciso retoma-lá porque está ameaçada", disse Lula.

O ex-presidente já participou de edições anteriores do Fórum Social Mundial em Porto Alegre, em 2002 e 2003, enquanto era presidente. E também em 2011, no Senegal.

Além do ex-presidente, estiveram presentes o governador da Bahia, Rui Costa, as senadoras Gleisi Hoffman e Lidice da Mata, entre outros políticos. Outros convidados que eram esperados não compareceram, como Dilma Rousseff, José Mujica (Uruguai), Cristina Kirchner (Argentina) e Fernando Lugo (Paraguai).

"Quero saudar a todos que vieram a Bahia construir esse fórum, de afirmação dos direitos humanos, de afirmação da democracia, de afirmação do povo brasileiro e dos povos dormindo inteiro. Lutar pela democracia significa acabar com herança escravocrata que persiste no Brasil e no mundo inteiro e também pelos direitos das mulheres e grupos minoritários", disse Rui Costa.

O público que acompanhou o ato começou a chegar ao estádio bem antes do início do evento. As pessoas levaram Cartazes e faixas com frases que pediam a anulação do impeachment da presidente Dilma Rousseff, Diretas Já e a não prisão do ex-presidente Lula, para que ele possa participar das eleições desse ano.

Sala de Notícia - Todos os Direitos Reservados