Buscar

Pais querem impedir fechamento de escola estadual no Sobradinho

Os pais dos alunos que estudam na Escola Estadual Menino Jesus de Praga, localizada no bairro Sobradinho em Feira de Santana, realizaram na manhã desta sexta-feira (9), uma manifestação em frente à unidade educacional para reclamar contra o fechamento da escola.

O professor Ivanberg Lima, diretor do Núcleo Regional de Educação (NRE), explicou que a direção e professores da escola estão se reunindo com o núcleo para decidir sobre o fechamento. De acordo com ele, a escola está funcionando em um prédio alugado, enquanto há outras escolas próximas com salas ociosas que podem atender aos alunos. Para ele, a decisão do fechamento também é uma forma de reduzir custos.

“Essa escola tem dois prédios alugados. Estamos pagando aluguel sendo que há prédios próprios com salas ociosas”, disse.

Ivanberg informou ainda que a Escola Estadual Menino Jesus de Praga tem 600 alunos do ensino médio e fundamental. Eles deverão ser remanejados para o Colégio Estadual Assis Chateubriand e outro colégio no bairro Gabriela.

José Junqueira Brito, tem um filho de 13 anos que é estudante da Escola Estadual Menino Jesus de Praga. Ele estava inconformado com a possibilidade de fechamento da instituição de ensino.

“Essa escola tem 40 anos de serviços prestados ao bairro. A diretora tem uma maneira de agir que todos gostam. Ninguém quer sair desse colégio”, pontuou.

Mirian Ferreira dos Santos, contou que o filho de 17 anos estuda há cinco anos na escola e o fechamento vai ser prejudicial principalmente em relação ao deslocamento. “Se fechar ele vai ter que ir pra um colégio perto da bica. Moramos na Pedra Ferrada e vai ficar ruim para transporte”, comentou.

Para Crispim Souza Lima, se houver mudança de colégio vai mudar a rotina dos alunos. Eles já estão acostumados aqui. Vamos lutar para o colégio não fechar”, destacou.

O vereador Ron do Povo esteve presente na manifestação dos pais contra o fechamento da Escola Estadual Menino Jesus de Praga e foi inclusive criticado por alguns pais, por aproveitar o momento para fazer política.

Ele esclareceu que não está fazendo política e que está fazendo o seu papel como representante do povo.

“Eu estudei nessa escola e estou aqui como representante do povo. Eu quero participar da reunião e ver como eu posso intervir como parlamentar”, finalizou.

Foto: Ed Santos

Sala de Notícia - Todos os Direitos Reservados