Buscar

Prestigiado no grupo, José Ronaldo adota postura de candidato


Vice ideal para a chapa de oposição ao PT, segundo o vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis. Único garantido nesta chapa, segundo ACM Neto. E, nos bastidores, apontado como o nome para substituir o prefeito de Salvador, caso este não se disponha a deixar a prefeitura para a disputa pelo Palácio de Ondina. Foi assim que o nome de José Ronaldo apareceu no noticiário estadual durante o carnaval.

A nova condição de prestígio entre seu próprio grupo político parece ter consolidado a decisão de deixar a prefeitura de Feira e enchido de disposição o prefeito de Feira de Santana. Em entrevista à imprensa feirense para anunciar o pagamento da última parcela do empréstimo contraído para construção de viadutos na cidade, Ronaldo se exaltou algumas vezes para criticar o PT e deu a entender que se o grupo o escolher, aceita ser até mesmo candidato ao governo do estado, enfrentando Rui Costa, que concorrerá à reeleição.

"Eu, ele [ACM Neto], qualquer um de nós, não temos medo de enfrentar o governador da Bahia", apregoou, gesticulando largamente. Da mesma forma, garantiu que o risco de uma delação de Geddel não preocupa, porque Geddel está ligado também ao PT, por ter sido ministro de Lula, vice-presidente da Caixa sob Dilma e figura central na primeira eleição de Wagner como governador, em 2006. "Uma peça de extrema importância na primeira eleição de Wagner para governador. Foi quem viabilizou a candidatura", sentenciou.

Para ele, ligar Geddel a ACM Neto (o PMDB uniu-se a Neto desde o segundo turno da eleição de 2012) é estratégia "do povo do PT, pra esconder as suas falcatruas". E prosseguiu afirmando que "foi o PT quem chefiou o Lava Jato no país".

ELEIÇÃO IMPREVISÍVEL

Para Ronaldo, o cenário político está conturbado em todos os estados e por conta disso os resultados eleitorais são imprevisíveis. Desfazer das chances da oposição seria uma demonstração de prepotência e arrogância do PT. "Ninguém de sã consciência pode dizer com segurança o que vai acontecer para o governo dos estados. Ninguém ganha eleição com antecedência", raciocina.

Ele ainda criticou Rui Costa por duvidar de pesquisas que o colocam atrás de ACM Neto, enquanto crê nas que apontam liderança de Lula na eleição presidencial.

CARGO EM ABERTO

Ronaldo colocou ACM Neto como seu candidato preferencial ao governo e acrescentou que sempre trabalhou por uma vaga de senador. Mas quando perguntei se ele trocaria, apelou ao argumento de que eleição majoritária é decisão de grupo e não pessoal, diferente de uma candidatura a vereador ou deputado.

Se rejeitasse a hipótese poderia dizer logo claramente. O modo como respondeu deixa, é claro, a possibilidade aberta. O Correio, jornal dos ACM, noticiou esta semana que o prefeito de Salvador já colocou a proposta na mesa e Ronaldo aceitou.

Mas Neto não desistiu ainda e talvez a própria atitude de deixar explícita a dúvida seja uma estratégia para obter os apoios de que precisa. Ele gostaria de atrair PP ou PR, ambos aliados de Rui no plano estadual e de Temer em Brasília. E não pode abrir mão do tempo de TV que vem junto com o PMDB mas queria ver os Vieira Lima afastados do comando da sigla na Bahia, para não pegar lepra nas urnas.

CONFIRA O VÍDEO DA ENTREVISTA DE JOSÉ RONALDO

Sala de Notícia - Todos os Direitos Reservados