Buscar

Estudante que levou soco após sair do carnaval tem morte cerebral


O estudante Kaíque Abreu, de 22 anos, que foi agredido quando voltava do carnaval, teve morte cerebral na tarde desta quarta-feira (14), em Salvador. A informação foi confirmada por um tio da vítima, Kildare Abreu, que disse que a família decidiu por fazer a doação dos órgãos.

Kaíque estava internado desde a sexta-feira (9), no Hospital Português, no bairro da Barra. A câmera de segurança de um prédio registrou o momento em que a vítima foi agredida. Kaíque voltava sozinho do circuito Dodô (Barra-Ondina), após se perder dos amigos. Quando passou na Rua Manoel Barreto, ele foi atacado com um soco no rosto por um homem.

O homem que agrediu o estudante Kaíque Abreu disse à polícia que deu um soco e um chute na vítima para descontar uma agressão que teria sofrido de outra pessoa na folia. A informação foi divulgada pela delegado José Alves Júnior, diretor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na manhã desta quarta-feira.

"Ele informou e alegou em sua defesa que estaria no circuito de carnaval, onde também estava vendendo queijinho e, em certo momento, se envolveu em uma discussão, uma briga. Nisso, teria sofrido uma agressão. Quando estava no caminho de retorno de casa para embarcar no veículo para voltar, ele quis descontar em alguém. Uma pessoa que passasse pela frente, ele iria revidar aquela agressão que tinha sofrido no circuito. Essa pessoa, infelizmente, foi o Kaíque", disse o delegado.

G1

Sala de Notícia - Todos os Direitos Reservados