Buscar
  • Glauco Wanderley

Ex-marido que matou servidora do Detran disse que queria cometer crime no Natal


Em entrevista à imprensa, o suspeito Jailson Santos Mendonça negou que tenha premeditado o crime e afirmou que se tratou de um ato de desespero. "Foi um ato de loucura, um ato que me desesperei naquele momento que a gente discutiu", contou.

Ele diz que a faca usada no crime estava junto de outros objetos, a exemplo de alicate, e que não revela premeditação. Jaílson não explica o motivo de estar com veneno para rato, que usou para tentar se matar após o crime.

"Sempre fui uma pessoa do bem. Eu não tivesse intenção de matar. Eu não sou assassino. Passei a ser agora, que cometi esse ato. Um ato sem pensar", disse.

Segundo o delegado Guilherme Machado, após a entrevista à imprensa, Jailson foi encaminhado para o Complexo Penitenciário da Mata Escura, em Salvador. Ele foi preso em flagrante por crime de feminicídio.

Bilhete

Após efetuar a prisão, a polícia achou um bilhete com Jaílson. Segundo o delegado Guilherme Machado, o bilhete escrito pelo comerciante tinha a seguinte frase: "Veja o que vocês fizerão [sic] no Natal. Mudou tudo. Era diferente. Estava tudo bem eu e Mari. Davi-Antônia-Gegeu-Andreia". A polícia não detalhou quem são as pessoas citadas no bilhete, além da vítima, Maridalva da Silva Gonçalves, e do suspeito.

Caso

A servidora do Detran-BA foi morta na escadaria que dá acesso à sede do órgão, na região do Iguatemi, em Salvador. Em nota, o Detran lamentou o crime.

A vítima trabalhava no setor de defesa prévia. O Detran informou, ainda em nota, que está prestando solidariedade à família de Maridalva. Ainda de acordo com o comunicado, os serviços oferecidos à população pelo órgão não foram suspensos.

O homem suspeito de matar a ex-companheira, que era servidora do Departamento Estadual de Trânsito da Bahia (Detran-BA), disse à vítima que cometeria o crime no Natal. A informação é do delegado Guilherme Machado, coordenador da 2ª Delegacia de Homicídios (DH/Central), durante apresentação à imprensa na manhã desta quinta-feira (28).

"O autor estava ameaçando a vítima desde o dia 14 de dezembro, quando terminaram efetivamente a relação e prometeu matá-la justamente no Natal. Infelizmente, a vítima não deu a atenção devida a essa ameaça. Adicionamos aos autos os diálogos que foram coletados através do aplicativo WhatsApp em que ele afirma, categoricamente, que iria matá-la no Natal e, em seguida, se suicidar. É um crime que a polícia poderia ter evitado, se tivesse conhecimento prévia a essa ameaça", diz o delegado.

Fonte: G1

#feminicídio #Detran

728×90_MAIS_SAÚDE_BAHIA_0520_ACOES_FEI

Sala de Notícia - Todos os Direitos Reservados