Buscar

Damiani é oficialmente apresentado e confirma a saída de cinco jogadores


Oficialmente apresentado nesta quarta-feira, 20, pelo presidente Ricardo David como diretor de futebol do Vitória, Erasmo Damiani manteve o tom cauteloso na coletiva de imprensa na Toca do Leão.

Sem citar nomes de jogadores que podem interessar ao Leão na temporada ou posições que considera mais críticas para reforços, o diretor voltou a dizer que a prioridade do clube é de renovar com os atletas que têm contratos terminando neste ano, para só então pensar em contratar.

Ainda assim, soltou uma informação: de 2017, cinco jogadores não interessam ao Vitória e já foram liberados. São eles Danilinho, Fred, Geferson, Alan Costa e René Santos.

“Todos os outros que não liberamos é porque estamos tentando uma renovação. Algumas estão avançadas, outras estão estagnadas e outras serão difíceis por conta do pedido da valorização salarial dos atletas, que não é condizente com a situação do clube”, disse o dirigente.

Damiani admitiu que o vazamento da folha salarial do elenco, em setembro, não facilitou a vida do clube.

“Cria um problema para nós, porque o representante quando vem negociar diz ‘ah, mas Fulano ganha tanto’. Esse vazamento não foi benéfico para ninguém, nem para o Vitória e nem para o atleta. Acho que ninguém gostaria de ter o salário exposto”, explicou, também sem citar nomes.

Ainda assim, informações não oficiais dão conta de que Kanu, Caíque Sá e Uillian Correia, todos jogadores que estão em negociação com o Vitória, teriam pedido uma valorização salarial.

Ainda assim, o diretor garantiu que não pretende buscar renegociar contratos em vigor ou propor alternativas para os atletas que têm vínculo com o Vitória e não vêm rendendo o esperado.

“Aqui não é o Damiani, o Ricardo, o Francisco. O Vitória fez os contratos, eles estão assinados. Mas, claro, se no meio do caminho chegar uma proposta e o atleta tiver interesse, vamos conversar. Mas não vamos chamar os jogadores para rever contratos firmados”, pontuou o diretor.

Pior do que o esperado

Já não era novidade que a situação financeira do Vitória não era das mais saudáveis e que o novo presidente precisaria de jogo de cintura para equilibrar o orçamento.

Mas, de acordo com Ricardo David, os cofres estão numa situação pior do que a equipe esperava. Segundo o próprio, porém, não é nada que o impeça de colocar em prática promessas de campanha, como manter David e Santiago Tréllez, e valorizar a base.

“A situação é mais grave do que a gente imaginava? Sim, mas não será impeditiva de fazer o que a gente precisa para esse início de temporada”, disse. “Não vou permitir que a base do Vitória seja moeda de troca”, garantiu, quando questionado se venderia jogadores para equilibrar as contas.

Fonte: A Tarde

Sala de Notícia - Todos os Direitos Reservados