Buscar

Novembro Negro no Aviário chama a atenção sobre racismo e preconceito


Questões sobre racismo e preconceito em pleno século XXI chamam a atenção da comunidade do bairro Aviário, uma dentre muitas outras comunidades feirenses onde a influência da cultura afrodescendente está sempre latente. O debate sobre a temática foi provocado durante as comemorações do Novembro Negro, por iniciativa da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Sedeso), que desenvolve uma intensa programação durante todo o mês.

A ação no auditório da praça do Ceu, no Aviário, foi iniciativa conjunta do Centro de Referência em Assistência Social (CRAS),coordenado por Cibeli Alves, em parceria com o Centro Juiz Walter Ribeiro Costa Júnior, coordenado por Andréa Rios. E contou com palestras do diretor do Departamento da Igualdade de Gênero, Racial e Juventude, Gilenaldo Santos, e da chefe da Divisão a Igualdade Racial, Faraildes Ribeiro dos Santos.

O evento foi aberto com apresentação de um grupo de dança afro e do grupo de capoeira dos alunos do Centro Juiz Walter, liderado pelos mestres Cláudio e Claudinho, do grupo Angoleiros do Sertão.

Gilenaldo Santos abordou sobre a importância das comemorações do Novembro Negro visando o enfrentamento ao racismo e ao preconceito e de despertar a consciência nas pessoas de que só existe uma única raça: a humana, independente da cor da pele.

Já Faraildes Ribeiro ressaltou a necessidade de enfrentamento do preconceito e destacou que durante todo o mês, a Secretaria de Desenvolvimento Social estará promovendo palestras e outros eventos para marcar as comemorações do Novembro Negro mobilizando toda a cidade, através de eventos nos mais diversos bairros da cidade.

Sala de Notícia - Todos os Direitos Reservados