Buscar

Beldes e Nery querem herdar votos de Zé Neto. Robinson Almeida está no páreo

O ex-vereador Beldes Ramos pretende ser candidato a deputado estadual visto que a candidatura de Zé Neto a federal abre espaço para um feirense herdar-lhe os mais de 40 mil votos que obteve na cidade em 2014.

Alberto Nery, que ao contrário de Beldes conseguiu em 2016 renovar o mandato na Câmara, também já demonstrou disposição de concorrer, na mesma esperança de se beneficiar da troca de cargo pretendida por Zé Neto.

Além dos dois, Robinson Almeida deve ter a mesma expectativa, desde que decidiu concorrer para estadual em 2018. A decisão de Robinson certamente também foi influenciada pela de Zé Neto e ao sair do páreo deve buscar o apoio do atual líder do governo para chegar à Assembleia.

Os dois inverterão as posições na disputa que ocorre daqui a um ano. Aliado a Zé Neto, Robinson teve em Feira 6.020 votos em 2014, sendo o sétimo mais votado na cidade para a Câmara Federal. Outro petista bem prestigiado pelos eleitores para o mesmo cargo foi o ex-secretário de Saúde, Jorge Solla, 11º colocado, com 3.995.

Para estadual, Zé Neto teve muito mais: 41.991, ficando na primeira posição em Feira. É voto que daria para distribuir pelos três citados postulantes à Assembleia.

Mas a política não é uma atividade lógica. O mais previsível é que saia gente magoada, assim como magoado ficou Beldes, ao ver o apoio dado em 2016 ao seu concorrente no partido, Tarcísio Branco, assessor de Zé Neto. Os votos foram divididos e os dois acabaram de fora, com o PT sofrendo redução da bancada no município, de dois para um vereador. Alberto Nery se reelegeu com 3.780 votos. Beldes parou em 2.759, quase o mesmo que Tarcísio, que ficou em 2.531.

0 comentário