Buscar
  • Fonte: ESPN

Cruzeiro é pentacampeão da Copa do Brasil


Após um empate sem gols, o Cruzeiro derrotou o Flamengo por 5 a 3 nos pênaltis, no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, na noite desta quarta-feira, e sagrou-se assim campeão da Copa do Brasil pela quinta vez, igualando o número de conquistas do recordista Grêmio.

Nas cobranças, Henrique, Léo, Hudson, Diogo Barbosa e Thiago Neves acertaram o alvo para o Cruzeiro. Guerrero, Juan e Trauco marcaram para o Flamengo, enquanto Diego parou nas mãos de Fábio. O time rubro-negro nem chegou a fazer a última cobrança.

A cobrança de Neves gerou polêmica porque os flamenguistas alegaram que o cruzeirense deu dois toques na bola - ele escorregou no momento do tiro, o que deu a impressão de que um pé tocou na bola antes de o outro bater nela. Mas mesmo as imagens da televisão não deixam claro se o toque duplo aconteceu.

A partida anterior havia terminado empatada em 1 a 1, de forma que nova igualdade levaria a decisão para os pênaltis.

Campeão, o Cruzeiro assegurou vaga na Copa Libertadores de 2018 e embolsará mais R$ 6 milhões de premiação. Pela participação nas fase anteriores, a equipe da Toca da Raposa já tinha acumulado R$ 6,8 milhões.

O título ainda significará um adicional de R$ 500 mil da Caixa, por conta de uma cláusula que prevê essa bonificação do patrocinador do clube em caso de troféu.

A última vez que faturou a Copa do Brasil tinha sido em 2003, justamente no Mineirão e numa final contra o Flamengo. Vice-campeão, o time rubro-negro receberá R$ 2 milhões de premiação (já tinha acumulado R$ 3,75 milhões pela participação nas outras fases).

O meia-atacante Raniel, 21, foi a surpresa na escalação do Cruzeiro. Mano Menezes optou por ele na vaga de Rafael Sóbis em vez de Arrascaeta, que foi bem no primeiro jogo da final. O jovem entrou em campo com muita disposição, mas não teve tempo para colocá-la em prática.

Pegou a bola no primeiro minuto e a tocou. No terceiro minuto de jogo estava sozinho e caiu no gramado. A final terminava ali para ele. Deixou o campo na maca e foi substituído por Arrascaeta. O departamento médico cruzeirense informou que ele sofreu estiramento muscular nas duas coxas.

No banco de reservas, chorando muito, foi consolado pelos demais jogadores do Cruzeiro.

Pode se dizer que é uma unanimidade: o primeiro tempo da final foi bem ruim.

Os jogadores de Cruzeiro e Flamengo estavam muito nervosos e isso refletiu na criação das jogadas, nas finalizações e nas ações com a bola.

Foram apenas três finalizações corretas ao gol nos 45 minutos iniciais. Um pouco mais organizado, o Flamengo fez duas. O Cruzeiro, na única boa chance que criou, viu o goleiro Muralha praticar uma defesa difícil, mas também sem sustos.

O meia Robinho teve de ser substituído na volta do intervalo contra a própria vontade e contra a vontade de Mano Menezes.

O motivo foi que o jogador deixou a primeira etapa com fadiga muscular e a pausa de 15 minutos não foi suficiente para que ele ficasse apto para mais 45 minutos. Assim, deixou o gramado para dar lugar para Rafinha.

A etapa final foi praticamente um repeteco do primeiro tempo.

Dois times nervosos, com má qualidade na criação das jogadas e quase nada de finalizações.

Um dos poucos lances de emoção forte foi aos 32 minutos, quando Muralha falhou. Após cruzamento para a área, o goleiro deixou o gol para afastar a bola. Mas deu um soco muito fraco e ela sobrou para Arrascaeta. Ele cabeceou, mas não acertou o gol vazio.

Sem gols o jeito foi decidir a taça nas cobranças de pênaltis.

Passada a final da Copa do Brasil, Cruzeiro e Flamengo voltam a se concentrar no Campeonato Brasileiro.

O time celeste jogará contra o Corinthians, novamente no Mineirão, no próximo domingo, pela 26ª rodada. Já na segunda-feira, o Flamengo visitará a Ponte Preta, no Moisés Lucarelli, em Campinas.

Ficha técnica

CRUZEIRO 0 (5) X (3) 0 FLAMENGO

Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG) Data: 27 de setembro de 2017 (Quarta-feira) Horário: 21h45 (de Brasília) Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira (SP) Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Danilo Ricardo Simon Manis (SP)

Cartões amarelos: Ezequiel, Hudson (Cruzeiro); Pará, Guerrero (Flamengo)

Público: 61.017 torecedores

Renda: R$ 7.897.000,00

Penalidades: CRUZEIRO: Henrique – Gol. Léo – Gol. Hudson – Gol. Diogo Barbosa – Gol. Thiago Neves – Gol; FLAMENGO: Guerrero – gol. Juan – gol. Diego – Perdeu. Trauco – Gol

CRUZEIRO: Fábio, Ezequiel, Léo, Murilo e Diogo Barbosa; Henrique, Hudson, Robinho (Rafinha), Thiago Neves e Alisson (Élber); Raniel (Arrascaeta). Técnico: Mano Menezes

FLAMENGO: Alex Muralha, Pará, Réver, Juan e Miguel Trauco; Gustavo Cuéllar, Willian Arão, Diego e Everton (Lucas Paquetá); Orlando Berrío (Rodinei) e Paolo Guerrero. Técnico: Reinaldo Rueda.

#CopadoBrasil #Cruzeiro #Flamengo

728×90_MAIS_SAÚDE_BAHIA_0520_ACOES_FEI

Sala de Notícia - Todos os Direitos Reservados