Buscar

Rui Costa se expôs desnecessariamente

Repercute muito mal para Rui Costa, na Bahia e no Brasil, o empenho em ajudar a salvar o mandato de Michel Temer, a fim de que não assuma o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, aliadíssimo de seu rival em 2018, ACM Neto.

Além de orientar seus liderados na bancada federal baiana a não votar pela aceitação da denúncia, Rui chegou ao extremo quando retirou dois deputados suplentes (Robinson Almeida e Davidson Magalhães) que votariam contra Temer, para colocar de volta no Congresso seus secretários Josias Gomes e Fernando Torres. Um movimento provavelmente desnecessário, pois dificilmente serão os deputados baianos o fiel da balança neste caso.

A desculpa do governador é que o correto seria fazer eleição direta e que o Congresso não tem legitimidade para escolher o presidente. A Constituição prevê que em caso de vacância da presidência na segunda metade do mandato, o Congresso escolhe o substituto para completar o tempo até a eleição.

Rui gravou em vídeo tal justificativa e disse que ele mesmo abriria mão da parte final do seu mandato, para realização de eleições gerais.

Mas o que fica é que o governador do PT, que tanto pregou o Fora Temer, desmoralizou o próprio discurso e frustrou seus eleitores, sem conseguir qualquer um novo. O DEM baiano, que supostamente seria beneficiário da queda de Temer, deve votar pela permanência do peemedebista.

VEJA O VÍDEO EM QUE RUI COSTA EXPLICA SUA POSIÇÃO

Sala de Notícia - Todos os Direitos Reservados